1ª SEMANA EMPREGADA EM PROCURAR ADQUIRIR O CONHECIMENTO PRÓPRIO

1ª SEMANA EMPREGADA EM PROCURAR ADQUIRIR O CONHECIMENTO PRÓPRIO

ORAÇÕES:

Ladainha ao Espírito Santo, Ave Maria Stella e Ladaínha da Santíssima Virgem.

 

LEITURAS:

Evangelho segundo São Mateus, capítulos 24 e 25
Evangelho segundo São Lucas, capítulos 11, 13, 16, 17 e 18
Imitação de Cristo: Livro I, capítulo 24; 1. II, capítulo 5; 1. II, capítulos 7,8,13,20,30,47.
Tratado da Verdadeira devoção, nº 78-82.

EXERCICIOS ESPIRITUAIS:

Atos de renúncia à própria vontade, de arrependimento das faltas cometidas, etc,
(Ver tratado da Verdadeira Devoção, nº 77-128)

    

ORAÇÕES:

Ladainha ao Espírito Santo, Ave Maria Stella e Ladaínha da Santíssima Virgem.


LADAINHA DO ESPÍRITO SANTO

Senhor, tende piedade de nós

Jesus Cristo, tende piedade de nós

Senhor, tende piedade de nós

Jesus Cristo, ouvi-nos

Jesus Cristo, escutai-nos

Pai celeste, que sois Deus, tende piedade de nós

Filho, redentor do mundo que sois Deus, tende piedade de nós

Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós

Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós

Espírito, que procedeis do Pai e do Filho, tende piedade de nós

Espírito do Senhor, que no início da Criação, pairando sobre as àguas, as tornastes fecundas, tende piedade de nós

Espírito, sob cuja inspiração falaram os santos de Deus, tende piedade de nós

Espírito, cuja unção tudo nos ensina, tende piedade de nós

Espírito, que rendeis testemunho de Jesus Cristo, tende piedade de nós

Espírito de verdade, que tudo nos sugeris, tende piedade de nós

Espírito, que descestes sobre Maria, tende piedade de nós

Espírito do Senhor, que encheis toda a terra, tende piedade de nós

Espírito de Deus que estais em nós, tende piedade de nós

Espírito de sabedoria e inteligência, tende piedade de nós

Espírito de conselho e de força, tende piedade de nós, tende piedade de nós

Espírito de ciência e piedade, tende piedade de nós

Espírito de temor do Senhor, tende piedade de nós

Espírito de graça e misericórdia, tende piedade de nós

Espírito de força, amor e sobriedade, tende piedade de nós

Espírito de fé, de esperança, de amor e de paz, tende piedade de nós

Espírito de humildade e de castidade, tende piedade de nós

Espírito de bondade e de doçura, tende piedade de nós

Espírito de todas as formas de graça, tende piedade de nós

Espírito, que perscrutais os segredos de Deus, tende piedade de nós

Espírito, que rogais por nós com gemidos inenarráveis, tende piedade de nós

Espírito, que descestes sobre Jesus na forma de pomba, tende piedade de nós

Espírito, por quem recebemos novo nascimento, tende piedade de nós

Espírito, que encheis os nossos corações de caridade, tende piedade de nós

Espírito de adoção dos filhos de Deus, tende piedade de nós

Espírito, que aparecestes sobre os discípulos sob a forma de línguas de fogo, tende piedade de nós

Espírito, de que foram cheios os Apóstolos, tende piedade de nós

Espírito, que dais a qual segundo a Vossa vontade, tende piedade de nós

Sede-nos propício, perdoai-nos, Senhor

Sede-nos propício, ouvi-nos, Senhor

De todo o mal, livrai-nos, Senhor

De todo o pecado, livrai-nos Senhor

Das tentações e insídias do demónio

De toda a presunção e desesperação

Da resistência à verdade

Da obstinação e impenitência

Da impureza da mente e do corpo

Do espírito de fornicação

De todo o mau espírito

Pela Vossa processão do Pai e do Filho

Pela conceção de Jesus Cristo por Vossa obra

Pela descida sobre Jesus Cristo no Jordão

Pela Vossa descida sobre os Discípulos, livrai-nos, Senhor

No grande dia do Juízo

Pobres pecadores, nós vos pedimos, ouvi-nos

Para que vivendo pelo espírito operemos pelo espírito

Para que nos lembremos de que somos templos do Espírito Santo e não o profanemos

Para que vivendo segundo o Espírito, não dêmos satisfação aos desejos da carne

Para que mortifiquemos as obras da carne

Para que não vos contristemos, Espírito Santo de Deus

Para que sejamos solícitos em conservar a unidade do espírito nos laços da paz

Para que não acreditemos facilmente em todo o espírito

Para que verifiquemos se o espírito é de Deus

Para que Vos digneis renovar em nós a rectidão do espírito

Para que nos confirmeis no Vosso espírito

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Senhor

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós, Senhor.

Oração:
Nós Vos suplicamos, Senhor, que nos assista a força do Vosso Espírito Santo, para que purificando, pela Sua misericórdia, as manchas dos nossos corações, nos preserve de todo o mal. Por Cristo Senhor Nosso. Amen.   

(latim)

 

Ave Maria Stella 

Salve, Estrela do mar,

Mãe fecunda de Deus,

Ficando sempre Virgem;

Feliz porta do Céu.

Vós que de Gabriel

Ouviste aquele Ave,

Estabelecei-nos na paz,

Mudando o nome de Eva.

Rompei as cadeias dos cativos,

Iluminai os cegos, Expulsai os nossos males,

Pedi para nós todos bens.

Mostrai-Vos nossa Mãe;

Receba por Vós as nossas preces

Aquele que por nós nasceu e quis ser Vosso.

Virgem singular, Doce entre todas,

Livres das nossas culpas, torna-nos doces e castos.

Dá-nos uma vida pura,

Prepara-nos caminho seguro

Para que, vendo Jesus, Eternamente nos alegremos.

Louvor seja dado a Deus Pai, Honra ao grande Cristo

E ao Espírito Santo; Aos três a mesma honra. Amen.

 

Ave Maria Stella (latim)

Ave, Maria Stella,

Dei Mater alma,

Atque semper Virgo,

Felix coeli porta.


Sumens illud Ave

Gabrielis ore,

Funda nos in pace,

Mutans Evae nomen.

 

Salve vinvla reis,

Profer lumen coecis,

Mala nostra pelle,

Bona cuncta posce.

 

Monstra te esse Matrem,

Sumat per te preces,

Qui pro novis natus

Tulit esse tuus.

 

Virgo singularis,

Inter omnes mitis,

Nos culpis solutos,

Mites fac et castos.

Vitam praesta uram

Iter para tutum

Ut videntes Jesum,

Semper colaetemur.

 

Sit laus Deo Patri,

Summo Christo decus,

Spiritui Sancto,

Tribus honor unus.

Amen.

 

LADAÍNHA DA SANTÍSSIMA VIRGEM

Senhor, tende piedade de nós

Jesus Cristo, tende piedade de nós

Senhor, tende piedade de nós

Jesus Cristo, ouvi-nos

Jesus Cristo, escutai-nos

Pai celeste, que sois Deus, tende piedade de nós

Filho, Redentor do mundo, que sois Deus, tende piedade de nós

Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós

Trindade Santa, que sois um só Deus, tende piedade de nós

Santa Maria, rogai por nós

Santa Mãe de Deus, rogai por nós

Santa Virgem das virgens, rogai por nós

Mãe de Jesus Cristo, rogai por nós

Mãe da divina graça, rogai por nós

Mãe puríssima, rogai por nós

Mãe castíssima, rogai por nós

Mãe imaculada, rogai por nós

Mãe intacta, rogai por nós

Mãe amável, rogai por nós

Mãe admirável, rogai por nós

Mãe do bom conselho, rogai por nós

Mãe do Criador, rogai por nós

Mãe do Salvador, rogai por nós

Virgem prudentíssima, rogai por nós

Virgem venerável, rogai por nós

Virgem louvável, rogai por nós

Virgem poderosa, rogai por nós

Virgem clemente, rogai por nós

Virgem fiel, rogai por nós

Espelho de justiça, rogai por nós

Sede de sabedoria, rogai por nós

Causa da nossa alegria, rogai por nós

Vaso espiritual, rogai por nós

Vaso honorífico, rogai por nós

Vaso insígne de devoção, rogai por nós

Rosa mística, rogai por nós

Torre de David, rogai por nós

Torre de marfim, rogai por nós

Casa de ouro, rogai por nós

Arca da aliança, rogai por nós

Porta do céu, rogai por nós

Estrela da manhã, rogai por nós

Saúde dos enfermos, rogai por nós

Refúgio dos pecadores, rogai por nós

Consoladora dos aflitos, rogai por nós

Auxílio dos cristãos, rogai por nós

Rainha dos anjos, rogai por nós

Rainha dos patriarcas, rogai por nós

Rainha dos profetas, rogai por nós

Rainha dos apóstolos, rogai por nós

Rainha dos mártires, rogai por nós

Rainha dos confessores, rogai por nós

Rainha das virgens, rogai por nós

Rainha de todos os santos, rogai por nós

Rainha concebida sem pecado original, rogai por nós

Rainha elevada ao céu, rogai por nós

Rainha do sacratíssimo Rosário, rogai por nós

Rainha da paz, rogai por nós

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo,
perdoai-nos Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo,
ouvi-nos Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo,
tende piedade de nós.

V. Rogai por nós, Santa Mãe de Deus,

R. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

 

Oremos.
Senhor Deus, nós Vos suplicamos que concedais aos vossos servos perpétua saúde de alma e de corpo; e que, pela gloriosa intercessão da bem-aventurada sempre Virgem Maria, sejamos livres da presente tristeza e gozemos da eterna alegria.
Por Cristo Nosso Senhor.

 

___________________________________________________________

 

LEITURAS

 

Evangelho segundo São Mateus, capítulos 24 e 25

Evangelho segundo São Lucas, capítulos 11, 13, 16, 17 e 18

Imitação de Cristo: Livro I, capítulo 24; 1. II, capítulo 5; 1. II, capítulos 7,8,13,20,30,47.

Tratado da Verdadeira devoção, nº 78-82

 

 

EVANGELHO SEGUNDO SÃO MATEUS,  Capítulos 24

Anúncio da destruição do templo

   «Tendo saído do templo, Jesus ia-se embora, quando os seus discípulos se aproximaram dele para lhe mostrar as construções do templo.  Mas Ele disse-lhes: «Vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra: tudo será destruído.»

 

Sinais percursores

   «Estando Jesus sentado no Monte das Oliveiras, os discípulos aproximaram-se e perguntaram-lhe em particular: «Diz-nos quando acontecerá tudo isto e qual o sinal da tua vinda e do fim do mundo.»  Jesus respondeu-lhes: «Tomai cuidado para que ninguém vos desencaminhe.Porque virão muitos em meu nome, dizendo: ‘Sou eu o Messias.’ E hão-de enganar muita gente.

    Ouvireis falar de guerras e de rumores de guerras, mas não vos assusteis. Isso tem de acontecer, mas ainda não será o fim. Há-de erguer-se povo contra povo e reino contra reino, e haverá fomes, pestes e terramotos em vários sítios.  Tudo isto será apenas o princípio das dores.»

 

Perseguição dos discípulos

    «Então, irão entregar-vos à tortura e à morte e, por causa do meu nome, todos os povos irão odiar-vos.  Nessa altura, muitos sucumbirão e hão de trair-se e odiar-se uns aos outros.  Surgirão muitos falsos profetas, que hão-de enganar a muitos. E, porque se multiplicará a iniquidade, vai resfriar o amor de muitos;  mas aquele que se mantiver firme até ao fim será salvo. Este Evangelho do Reino será proclamado em todo o mundo, para se dar testemunho diante de todos os povos. E então virá o fim.»

 

Destruição de Jerusalém

    «Por isso, quando virdes a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, instalada no lugar santo, o que lê, entenda então, os que se encontrarem na Judeia fujam para os montes;  aquele que estiver no terraço não desça para tirar as coisas de sua casa; e o que se encontrar no campo não volte atrás para buscar a capa. Ai das que estiverem grávidas e das que andarem amamentando nesses dias!  Rezai para que a vossa fuga não se verifique no Inverno ou em dia de sábado,  pois nessa altura a aflição será tão grande como nunca se viu desde o princípio do mundo até ao presente, nem jamais se verá. E, se não fossem abreviados esses dias, criatura alguma se poderia salvar; mas, por causa dos eleitos, esses dias serão reduzidos.»

 

Falsos Messias

 «Então, se vierem dizer-vos: ‘Aqui está o Messias’, ou ‘Ali está Ele’, não acrediteis; porque hão de surgir falsos messias e falsos profetas, que farão grandes milagres e prodígios, a ponto de desencaminharem, se possível, até os eleitos. Olhai que já vos preveni.  Por isso, se vos disserem: ‘Ele está no deserto’, não saiais; ‘Ei-lo no interior da casa’, não acrediteis. Porque, assim como o relâmpago sai do Oriente e brilha até ao Ocidente, assim será a vinda do Filho do Homem. Onde houver um cadáver, aí se juntarão os abutres.»

 

Vinda do Filho do Homem

  «Logo após a aflição daqueles dias, o Sol irá escurecer-se, a Lua não dará a sua luz, as estrelas cairão do céu e os poderes dos céus serão abalados.  Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem e todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vir sobre as nuvens do céu, com grande poder e glória. Ele enviará os seus anjos, com uma trombeta altissonante, para reunir os seus eleitos desde os quatro ventos, de um extremo ao outro do céu.»

 

Sinal da Figueira

  «Aprendei da comparação tirada da figueira: quando os seus ramos se tornam tenros e as folhas começam a despontar, sabeis que o Verão está próximo. Assim também, quando virdes tudo isto, ficai sabendo que Ele está próximo, à porta. Em verdade vos digo: Esta geração não passará sem que tudo isto aconteça. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão-de passar.»

 

Vigilância

    «Quanto àquele dia e àquela hora, ninguém o sabe: nem os anjos do Céu nem o Filho; só o Pai. Como foi nos dias de Noé, assim acontecerá na vinda do Filho do Homem. Nos dias que precederam o dilúvio, comia-se, bebia-se, os homens casavam e as mulheres eram dadas em casamento, até ao dia em que Noé entrou na Arca; e não deram por nada até chegar o dilúvio, que a todos arrastou. Assim será também a vinda do Filho do Homem.  

    Então, estarão dois homens no campo: um será levado e outro deixado; duas mulheres estarão a moer no mesmo moinho: uma será levada e outra deixada. Vigiai, pois, porque não sabeis em que dia virá o vosso Senhor.  Ficai sabendo isto: Se o dono da casa soubesse a que horas da noite viria o ladrão, estaria vigilante e não deixaria arrombar a casa. Por isso, estai também preparados, porque o Filho do Homem virá na hora em que não pensais.»

 

Parábola do mordomo fiel

 «Quem julgais que é o servo fiel e prudente, que o senhor pôs à frente da sua família para os alimentar a seu tempo? Feliz esse servo a quem o senhor, ao voltar, encontrar assim ocupado.  Em verdade vos digo: Há-de confiar-lhe todos os seus bens. Mas, se um mau servo disser consigo mesmo: ‘O meu senhor está a demorar’,  e começar a bater nos seus companheiros, a comer e a beber com os ébrios, o senhor desse servo virá no dia em que ele não o espera e à hora que ele desconhece;  vai afastá-lo e dar-lhe um lugar com os hipócritas. Ali haverá choro e ranger de dentes.»

 

 

EVANGELHO SEGUNDO SÃO MATEUS,  Capítulo 25

Parábola das dez virgens

 «O Reino do Céu será semelhante a dez virgens que, tomando as suas candeias, saíram ao encontro do noivo. Ora, cinco delas eram insensatas e cinco prudentes. As insensatas, ao tomarem as suas candeias, não levaram azeite consigo;  enquanto as prudentes, com as suas candeias, levaram azeite nas almotolias.

   Como o noivo demorava, começaram a dormitar e adormeceram. A meio da noite, ouviu-se um brado: ‘Aí vem o noivo, ide ao seu encontro!’ Todas aquelas virgens despertaram, então, e aprontaram as candeias. As insensatas disseram às prudentes: ‘Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas candeias estão a apagar-se.’ Mas as prudentes responderam: ‘Não, talvez não chegue para nós e para vós. Ide, antes, aos vendedores e comprai-o.’

   Mas, enquanto foram comprá-lo, chegou o noivo; as que estavam prontas entraram com ele para a sala das núpcias, e fechou-se a porta. Mais tarde, chegaram as outras virgens e disseram: ‘Senhor, senhor, abre-nos a porta!’ Mas ele respondeu: ‘Em verdade vos digo: Não vos conheço.’ Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora.

 

Parábola dos talentos

   «Será também como um homem que, ao partir para fora, chamou os servos e confiou-lhes os seus bens. A um deu cinco talentos, a outro dois e a outro um, a cada qual conforme a sua capacidade; e depois partiu. 

    Aquele que recebeu cinco talentos negociou com eles e ganhou outros cinco. Da mesma forma, aquele que recebeu dois ganhou outros dois.  Mas aquele que apenas recebeu um foi fazer um buraco na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor. Passado muito tempo, voltou o senhor daqueles servos e pediu-lhes contas.

     Aquele que tinha recebido cinco talentos aproximou-se e entregou-lhe outros cinco, dizendo: ‘Senhor, confiaste-me cinco talentos; aqui estão outros cinco que eu ganhei.’ O senhor disse-lhe: ‘Muito bem, servo bom e fiel, foste fiel em coisas de pouca monta, muito te confiarei. Entra no gozo do teu senhor.’ Veio, em seguida, o que tinha recebido dois talentos: ‘Senhor, disse ele, confiaste-me dois talentos; aqui estão outros dois que eu ganhei.’  O senhor disse-lhe: ‘Muito bem, servo bom e fiel, foste fiel em coisas de pouca monta, muito te confiarei. Entra no gozo do teu senhor.’

   Veio, finalmente, o que tinha recebido um só talento: ‘Senhor, disse ele, sempre te conheci como homem duro, que ceifas onde não semeaste e recolhes onde não espalhaste.  Por isso, com medo, fui esconder o teu talento na terra. Aqui está o que te pertence.’

    O senhor respondeu-lhe: ‘Servo mau e preguiçoso! Sabias que eu ceifo onde não semeei e recolho onde não espalhei.  Pois bem, devias ter levado o meu dinheiro aos banqueiros e, no meu regresso, teria levantado o meu dinheiro com juros.’ ‘Tirai-lhe, pois, o talento, e dai-o ao que tem dez talentos.  Porque ao que tem será dado e terá em abundância; mas, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.  A esse servo inútil, lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes.’»

 

 

Juízo definitivo

   «Quando o Filho do Homem vier na sua glória, acompanhado por todos os seus anjos, há-de sentar-se no seu trono de glória.  Perante Ele, vão reunir-se todos os povos e Ele separará as pessoas umas das outras, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos.

   À sua direita porá as ovelhas e à sua esquerda, os cabritos. O Rei dirá, então, aos da sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei em herança o Reino que vos está preparado desde a criação do mundo.  

Porque tive fome e destes-me de comer, tive sede e destes-me de beber, era peregrino e recolhestes-me, estava nu e destes-me que vestir, adoeci e visitastes-me, estive na prisão e fostes ter comigo.’  

   Então, os justos vão responder-lhe: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber? Quando te vimos peregrino e te recolhemos, ou nu e te vestimos?  E quando te vimos doente ou na prisão, e fomos visitar-te?’ E o Rei vai dizer-lhes, em resposta: ‘Em verdade vos digo: Sempre que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim mesmo o fizestes.’ Em seguida dirá aos da esquerda: ‘Afastai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, que está preparado para o diabo e para os seus anjos! Porque tive fome e não me destes de comer, tive sede e não me destes de beber, era peregrino e não me recolhestes, estava nu e não me vestistes, doente e na prisão e não fostes visitar-me.’

    Por sua vez, eles perguntarão: ‘Quando foi que te vimos com fome, ou com sede, ou peregrino, ou nu, ou doente, ou na prisão, e não te socorremos?’ Ele responderá, então: ‘Em verdade vos digo: Sempre que deixastes de fazer isto a um destes pequeninos, foi a mim que o deixastes de fazer.’ 46 Estes irão para o suplício eterno, e os justos, para a vida eterna.»

 

EVANGELHO SEGUNDO SÃO LUCAS,  Capítulos 11, 13, 16 e 18

EVANGELHO SEGUNDO SÃO LUCAS,  Capítulo 11

 

O Pai-Nosso

 «Sucedeu que Jesus estava algures a orar. Quando acabou, disse-lhe um dos seus discípulos: «Senhor, ensina-nos a orar, como João também ensinou os seus discípulos.»  Disse-lhes Ele: «Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o teu nome; venha o teu Reino;  dá-nos o nosso pão de cada dia;  perdoa os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo aquele que nos ofende; e não nos deixes cair em tentação.»

 

Parábola sobre a oração

 Disse-lhes ainda: «Se algum de vós tiver um amigo e for ter com ele a meio da noite e lhe disser: ‘Amigo, empresta-me três pães,  pois um amigo meu chegou agora de viagem e não tenho nada para lhe oferecer’, e se ele lhe responder lá de dentro: ‘Não me incomodes, a porta está fechada, eu e os meus filhos estamos deitados; não posso levantar-me para tos dar’.  Eu vos digo: embora não se levante para lhos dar por ser seu amigo, ao menos, levantar-se-á, devido à impertinência dele, e dar-lhe-á tudo quanto precisar.»

 

Confiança na oração

 «Digo-vos, pois: Pedi e ser-vos-á dado; procurai e achareis; batei e abrir-se-vos-á; porque todo aquele que pede, recebe; quem procura, encontra, e ao que bate, abrir-se-á.  Qual o pai de entre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir um peixe, lhe dará uma serpente?  Ou, se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião?  Pois se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo àqueles que lho pedem!»

 

Jesus e Belzebu

 Jesus estava a expulsar um demónio mudo. Quando o demónio saiu, o mudo falou e a multidão ficou admirada. Mas alguns dentre eles disseram: «É por Belzebu, chefe dos demónios, que Ele expulsa os demónios.» Outros, para o experimentarem, reclamavam um sinal do Céu. Mas Jesus, que conhecia os seus pensamentos, disse-lhes: «Todo o reino, dividido contra si mesmo, será devastado e cairá casa sobre casa. Se Satanás também está dividido contra si mesmo, como há-de manter-se o seu reino? Pois vós dizeis que é por Belzebu que Eu expulso os demónios.  Se é por Belzebu que Eu expulso os demónios, por quem os expulsam os vossos discípulos? Por isso, eles mesmos serão os vossos juízes. Mas se Eu expulso os demónios pela mão de Deus, então o Reino de Deus já chegou até vós.  Quando um homem forte e bem armado guarda a sua casa, os seus bens estão em segurança; mas se aparece um mais forte e o vence, tira-lhe as armas em que confiava e distribui os seus despojos. Quem não está comigo está contra mim, e quem não junta comigo, dispersa.»

 

Perigo de recaída

 «Quando um espírito maligno sai de um homem, vagueia por lugares áridos em busca de repouso; e, não o encontrando, diz: ‘Vou voltar para minha casa, de onde saí.’ Ao chegar, encontra-a varrida e arrumada.  Vai, então, e toma consigo outros sete espíritos piores do que ele; e, entrando, instalam-se ali. E o estado final daquele homem torna-se pior do que o primeiro.»

 

A verdadeira bem-aventurança

 Enquanto Ele falava, uma mulher, levantando a voz do meio da multidão, disse: «Felizes as entranhas que te trouxeram e os seios que te amamentaram!»  Ele, porém, retorquiu: «Felizes, antes, os que escutam a Palavra de Deus e a põem em prática.»

 

Sinal de Jonas

  Como as multidões afluíssem em massa, começou a dizer: «Esta geração é uma geração perversa; pede um sinal, mas não lhe será dado sinal algum, a não ser o de Jonas. Pois, assim como Jonas foi um sinal para os ninivitas, assim o será também o Filho do Homem para esta geração.  A rainha do Sul há-de levantar-se, na altura do juízo, contra os homens desta geração e há-de condená-los, porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão; ora, aqui está quem é maior do que Salomão! Os ninivitas hão-de levantar-se, na altura do juízo, contra esta geração e hão-de condená-la, porque fizeram penitência ao ouvir a pregação de Jonas; ora, aqui está quem é maior do que Jonas.»

 

A luz da fé

 «Ninguém acende uma candeia, para a colocar num lugar escondido ou debaixo do alqueire; mas coloca-a no candelabro, para que vejam a luz aqueles que entram.

 A candeia do teu corpo são os teus olhos. Se os teus olhos estiverem sãos, todo o teu corpo estará iluminado; mas se estiverem em mau estado, o teu corpo estará em trevas. Examina, pois, se a luz que há em ti não é escuridão. Se todo o teu corpo está iluminado, não tendo parte alguma tenebrosa, todo ele será luminoso, como quando a candeia te ilumina com o seu fulgor.»

 

Condenação do farisaísmo

 «Mal Jesus tinha acabado de falar, um fariseu convidou-o para almoçar na sua casa; Ele entrou e pôs-se à mesa. O fariseu admirou-se de que Ele não se tivesse lavado antes da refeição.  O Senhor disse-lhe: «Vós, os fariseus, limpais o exterior do copo e do prato, mas o vosso interior está cheio de rapina e de maldade. Insensatos! Aquele que fez o exterior não fez também o interior? Antes, dai esmola do que possuís, e para vós tudo ficará limpo. Mas ai de vós, fariseus, que pagais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as plantas e descurais a justiça e o amor de Deus! Estas eram as coisas que devíeis praticar, sem omitir aquelas. Ai de vós, fariseus, porque gostais do primeiro lugar nas sinagogas e de ser cumprimentados nas praças! Ai de vós, porque sois como os túmulos, que não se vêem e sobre os quais as pessoas passam sem se aperceberem!» Um doutor da Lei tomou a palavra e disse-lhe:

 «Mestre, falando assim, também nos insultas a nós.» Mas Ele respondeu: «Ai de vós, também, doutores da Lei, porque carregais os homens com fardos insuportáveis e nem sequer com um dedo tocais nesses fardos! Ai de vós, que edificais os túmulos dos profetas, quando os vossos pais é que os mataram! Assim, dais testemunho e aprovação aos actos dos vossos pais, porque eles mataram-nos e vós edificais-lhes sepulcros. Por isso mesmo é que a Sabedoria de Deus disse: ‘Hei-de enviar-lhes profetas e apóstolos, a alguns dos quais darão a morte e a outros perseguirão, a fim de que se peça contas a esta geração do sangue de todos os profetas, derramado desde a criação do mundo, desde o sangue de Abel até ao sangue de Zacarias, que pereceu entre o altar e o santuário.’ Sim, Eu vo-lo digo, serão pedidas contas a esta geração. Ai de vós, doutores da Lei, porque vos apoderastes da chave da ciência: vós próprios não entrastes e impedistes a entrada àqueles que queriam entrar!»  Quando saiu dali, os doutores da Lei e os fariseus começaram a pressioná-lo fortemente com perguntas e a fazê-lo falar sobre muitos assuntos, armando-lhe ciladas e procurando apanhar-lhe alguma palavra para o acusarem. 

 

 

EVANGELHO SEGUNDO SÃO MATEUS,  Capítulo 13

 

Exortação ao arrependimento

 Nessa ocasião, apareceram alguns a falar-lhe dos galileus, cujo sangue Pilatos tinha misturado com o dos sacrifícios que eles ofereciam.  Respondeu-lhes: «Julgais que esses galileus eram mais pecadores que todos os outros galileus, por terem assim sofrido?  Não, Eu vo-lo digo; mas, se não vos converterdes, perecereis todos igualmente. E aqueles dezoito sobre os quais caiu a torre de Siloé, matando-os, eram mais culpados que todos os outros habitantes de Jerusalém? Não, Eu vo-lo digo; mas, se não vos converterdes, perecereis todos da mesma forma.»

 

Parábola da figueira estéril

 Disse-lhes, também, a seguinte parábola: «Um homem tinha uma figueira plantada na sua vinha e foi lá procurar frutos, mas não os encontrou.  Disse ao encarregado da vinha: ‘Há três anos que venho procurar fruto nesta figueira e não o encontro. Corta-a; para que está ela a ocupar a terra?’  Mas ele respondeu: ‘Senhor, deixa-a mais este ano, para que eu possa escavar a terra em volta e deitar-lhe estrume. Se der frutos na próxima estação, ficará; senão, poderás cortá-la.’»

 

Mulher curada ao sábado

 Um dia de sábado, ensinava Jesus numa sinagoga.  Estava lá certa mulher doente por causa de um espírito, há dezoito anos: andava curvada e não podia endireitar-se completamente. Ao vê-la, Jesus chamou-a e disse-lhe: «Mulher, estás livre da tua enfermidade.» E impôs-lhe as mãos. No mesmo instante, ela endireitou-se e começou a dar glória a Deus.  Mas o chefe da sinagoga, indignado por ver que Jesus fazia uma cura ao sábado, disse à multidão: «Seis dias há, durante os quais se deve trabalhar. Vinde, pois, nesses dias, para serdes curados e não em dia de sábado.» Replicou-lhe o Senhor: «Hipócritas, não solta cada um de vós, ao sábado, o seu boi ou o seu jumento da manjedoura e o leva a beber? E esta mulher, que é filha de Abraão, presa por Satanás há dezoito anos, não devia libertar-se desse laço, a um sábado?»  Dizendo isto, todos os seus adversários ficaram envergonhados, e a multidão alegrava-se com todas as maravilhas que Ele realizava.

 

Parábola do grão de mostarda

 Disse, então: «A que é semelhante o Reino de Deus e a que posso compará-lo? É semelhante a um grão de mostarda que um homem tomou e deitou no seu quintal. Cresceu, tornou-se uma árvore e as aves do céu vieram abrigar-se nos seus ramos.»  

 

Parábola do fermento

Disse ainda: «A que posso comparar o Reino de Deus?  É semelhante ao fermento que certa mulher tomou e misturou com três medidas de farinha, até ficar levedada toda a massa.»

 

A porta estreita

 Jesus percorria cidades e aldeias, ensinando e caminhando para Jerusalém. 23 Disse-lhe alguém: «Senhor, são poucos os que se salvam?» Ele respondeu-lhes:  «Esforçai-vos por entrar pela porta estreita, porque Eu vos digo que muitos tentarão entrar sem o conseguir. Uma vez que o dono da casa se levante e feche a porta, ficareis fora e batereis, dizendo: ‘Abre-nos, Senhor!’ Mas ele há-de responder-vos: ‘Não sei de onde sois.’ Começareis, então, a dizer: ‘Comemos e bebemos contigo e Tu ensinaste nas nossas praças.’ Responder-vos-á: ‘Repito vos que não sei de onde sois. Apartai-vos de mim, todos os que praticais a iniquidade.’ Lá haverá pranto e ranger de dentes, quando virdes Abraão, Isaac, Jacob e todos os profetas no Reino de Deus, e vós a serdes postos fora. Hão-de vir do Oriente, do Ocidente, do Norte e do Sul, sentar-se à mesa no Reino de Deus. E há últimos que serão dos primeiros e primeiros que serão dos últimos.»

 

Jesus fala da sua morte

 Naquela altura aproximaram-se dele alguns fariseus, que lhe disseram: «Vai-te embora, sai daqui, porque Herodes quer matar-te.»  Respondeu-lhes: «Ide dizer a essa raposa: Agora estou a expulsar demónios e a realizar curas, hoje e amanhã; ao terceiro dia, atinjo o meu termo.  Mas hoje, amanhã e depois devo seguir o meu caminho, porque não se admite que um profeta morra fora de Jerusalém.»

 

Lamentações sobre Jerusalém

 «Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas aqueles que te são enviados! Quantas vezes Eu quis juntar os teus filhos, como a galinha junta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste! Agora, ficará deserta a vossa casa. Eu vo-lo digo: Não me vereis até chegar o dia em que digais: Bendito seja aquele que vem em nome do Senhor

 

 

EVANGELHO SEGUNDO SÃO MATEUS,  Capítulo 16

Parábola do administrador sagaz

 Disse ainda Jesus aos discípulos: «Havia um homem rico, que tinha um administrador; e este foi acusado perante ele de lhe dissipar os bens.  Mandou-o chamar e disse-lhe: ‘Que é isto que ouço a teu respeito? Presta contas da tua administração, porque já não podes continuar a administrar.’  O administrador disse, então, para consigo: ‘Que farei, pois o meu senhor vai tirar-me a administração? Cavar não posso; de mendigar tenho vergonha.  Já sei o que hei de fazer, para que haja quem me receba em sua casa, quando for despedido da minha administração.’  E, chamando cada um dos devedores do seu senhor, perguntou ao primeiro: ‘Quanto deves ao meu senhor?’ Ele respondeu: ‘Cem talhas de azeite.’ Retorquiu-lhe: ‘Toma o teu recibo, senta-te depressa e escreve cinquenta.’ Perguntou, depois, ao outro: ‘E tu quanto deves?’ Este respondeu: ‘Cem medidas de trigo.’ Retorquiu-lhe também: ‘Toma o teu recibo e escreve oitenta.’ 8 O senhor elogiou o administrador desonesto, por ter procedido com esperteza. É que os filhos deste mundo são mais sagazes que os filhos da luz, no trato com os seus semelhantes.» 9

 

Reflexões sobre o dinheiro

«E Eu digo-vos: Arranjai amigos com o dinheiro desonesto, para que, quando este faltar, eles vos recebam nas moradas eternas.  Quem é fiel no pouco também é fiel no muito; e quem é infiel no pouco também é infiel no muito.  Se, pois, não fostes fiéis no que toca ao dinheiro desonesto, quem vos há-de confiar o verdadeiro bem?  E, se não fostes fiéis no alheio, quem vos dará o que é vosso? Nenhum servo pode servir a dois senhores; ou há-de aborrecer a um e amar o outro, ou dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e ao dinheiro.»

 

Antiga e nova Lei

Os fariseus, como eram avarentos, ouviam as suas palavras e troçavam dele. Jesus disse-lhes: «Vós pretendeis passar por justos aos olhos dos homens, mas Deus conhece os vossos corações. Porque o que os homens têm por muito elevado é abominável aos olhos de Deus. A Lei e os Profetas subsistiram até João; a partir de então, é anunciada a Boa-Nova do Reino de Deus, e cada qual esforça-se por entrar nele.  Ora, é mais fácil que o céu e a terra passem do que cair um só acento da Lei. Todo aquele que se divorcia da sua mulher e casa com outra comete adultério; e quem casa com uma mulher divorciada comete adultério.»

 

Parábola do rico e do Lázaro

  «Havia um homem rico que se vestia de púrpura e linho fino e fazia todos os dias esplêndidos banquetes. Um pobre, chamado Lázaro, jazia ao seu portão, coberto de chagas. Bem desejava ele saciar-se com o que caía da mesa do rico; mas eram os cães que vinham lamber-lhe as chagas. Ora, o pobre morreu e foi levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado.  Na morada dos mortos, achando-se em tormentos, ergueu os olhos e viu, de longe, Abraão e também Lázaro no seu seio. Então, ergueu a voz e disse: ‘Pai Abraão, tem misericórdia de mim e envia Lázaro para molhar em água a ponta de um dedo e refrescar-me a língua, porque estou atormentado nestas chamas.’  Abraão respondeu-lhe: ‘Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em vida, enquanto Lázaro recebeu somente males. Agora, ele é consolado, enquanto tu és atormentado.  Além disso, entre nós e vós há um grande abismo, de modo que, se alguém pretendesse passar daqui para junto de vós, não poderia fazê-lo, nem tão pouco vir daí para junto de nós.’ O rico insistiu: ‘Peço-te, pai Abraão, que envies Lázaro à casa do meu pai, pois tenho cinco irmãos;  que os previna, a fim de que não venham também para este lugar de tormento.’  Disse lhe Abraão: ‘Têm Moisés e os Profetas; que os oiçam!’  Replicou-lhe ele: ‘Não, pai Abraão; se algum dos mortos for ter com eles, hão-de arrepender-se.’ Abraão respondeu-lhe: ‘Se não dão ouvidos a Moisés e aos Profetas, tão-pouco se deixarão convencer, se alguém ressuscitar dentre os mortos.’» 

 

 

 

EVANGELHO SEGUNDO SÃO MATEUS,  Capítulo 18

 

Parábola do juíz e da viúva

«Depois, disse-lhes uma parábola sobre a obrigação de orar sempre, sem desfalecer:  «Em certa cidade, havia um juiz que não temia a Deus nem respeitava os homens.  Naquela cidade vivia também uma viúva que ia ter com ele e lhe dizia: ‘Faz-me justiça contra o meu adversário.’  Durante muito tempo, o juiz recusou-se a atendê-la; mas, um dia, disse consigo: ‘Embora eu não tema a Deus nem respeite os homens, contudo, já que esta viúva me incomoda, vou fazer-lhe justiça, para que me deixe de vez e não volte a importunar-me.’» E o Senhor continuou: «Reparai no que diz este juiz iníquo. E Deus não fará justiça aos seus eleitos, que a Ele clamam dia e noite, e há-de fazê-los esperar?  Eu vos digo que lhes vai fazer justiça prontamente. Mas, quando o Filho do Homem voltar, encontrará a fé sobre a terra?»

 

O fariseu e o cobrador de impostos

 Disse também a seguinte parábola, a respeito de alguns que confiavam muito em si mesmos, tendo-se por justos e desprezando os demais:  «Dois homens subiram ao templo para orar: um era fariseu e o outro, cobrador de impostos.  O fariseu, de pé, fazia interiormente esta oração: ‘Ó Deus, dou-te graças por não ser como o resto dos homens, que são ladrões, injustos, adúlteros; nem como este cobrador de impostos.  Jejuo duas vezes por semana e pago o dízimo de tudo quanto possuo.’  O cobrador de impostos, mantendo-se à distância, nem sequer ousava levantar os olhos ao céu; mas batia no peito, dizendo: ‘Ó Deus, tem piedade de mim, que sou pecador.’ Digo-vos: Este voltou justificado para sua casa, e o outro não. Porque todo aquele que se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado.»

 

Jesus e os pequeninos

« Apresentavam-lhe também as criancinhas, para que Ele lhes tocasse. Vendo isso, os discípulos repreenderam-nos. Mas Jesus chamou-os a si, dizendo: «Deixai vir a mim os pequeninos; não os impeçais, pois deles é o Reino de Deus.  Em verdade vos digo: quem não receber o Reino de Deus como um pequenino, não entrará nele.»

 

O homem rico

« Certo chefe perguntou-lhe, então: «Bom Mestre, que hei--de fazer para alcançar a vida eterna?»  Respondeu-lhe Jesus: «Porque me chamas bom? Ninguém é bom senão Deus.  Tu sabes os mandamentos: Não cometerás adultério, não matarás, não roubarás, não levantarás falso testemunho; honra teu pai e tua mãe.»  Ele retorquiu: «Tudo isso tenho cumprido desde a minha juventude.»  Ouvindo isto, Jesus disse-lhe: «Ainda te falta uma coisa: vende tudo o que tens, distribui o dinheiro pelos pobres e terás um tesouro no Céu. Depois, vem e segue-me.»  Quando isto ouviu, ele entristeceu-se, pois era muito rico.  Vendo-o assim, Jesus exclamou: «Como é difícil para os que têm riquezas entrar no Reino de Deus! Sim, é mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus!»  Os que o ouviram disseram: «Então, quem pode salvar-se?» Jesus respondeu: «O que é impossível aos homens é possível a Deus.»

 

Recompensa do desprendimento

«Disse-lhe Pedro: «Nós deixámos os próprios bens e seguimos-te.» Ele disse-lhes: «Em verdade vos digo: Não há ninguém que tenha deixado casa, mulher, irmãos, pais ou filhos, por causa do Reino de Deus, que não receba muito mais no tempo presente e, no tempo que há-de vir, a vida eterna.»

 

Terceiro anúncio da Paixão

«Tomando os Doze consigo, Jesus disse-lhes: «Olhai, subimos agora a Jerusalém e vai cumprir-se tudo o que foi escrito pelos profetas acerca do Filho do Homem: vai ser entregue aos gentios, vai ser escarnecido, maltratado e coberto de escarros; e, depois de o açoitarem, vão dar-lhe a morte. Mas, ao terceiro dia, ressuscitará.»  Eles, porém, nada disto entenderam. Aquela linguagem era incompreensível para eles, e não entendiam o que lhes dizia.

 

Cura do cego de Jericó

Quando se aproximavam de Jericó, estava um cego sentado a pedir esmola à beira do caminho. Ouvindo a multidão que passava, perguntou o que era aquilo. Disseram-lhe que era Jesus de Nazaré que ia a passar. Então, bradou: «Jesus, Filho de David, tem misericórdia de mim!» Os que iam à frente repreendiam-no, para que se calasse. Mas ele gritava cada vez mais: «Filho de David, tem misericórdia de mim!»  Jesus parou e mandou que lho trouxessem. Quando o cego se aproximou, perguntou-lhe:  «Que queres que te faça?» Respondeu: «Senhor, que eu veja!» Jesus disse-lhe: «Vê. A tua fé te salvou.» Naquele mesmo instante, recobrou a vista e seguia-o, glorificando a Deus. E todo o povo, ao ver isto, deu louvores a Deus.

 

 

Imitação de Cristo: Livro I, capítulo 24; 1. II, capítulo 5; 1. II, capítulos 7,8,13,20,30,47.

 

Imitação de Cristo: Livro I, capítulo 24; 1.II

 

 

 

 

Contacto

Comunidade Católica de Evangelização Online nadateturbe@nadateespante.com