O PURGATÓRIO É UMA INVENÇÃO MEDIEVAL?

Desde quando os católicos rezam pelas almas do purgatório? Essa realidade é uma mera invenção da Idade Média ou faz parte da fé recebida dos apóstolos? Assista a este vídeo e descubra, além disso, por que os protestantes não acreditam no purgatório

Desde quando os católicos rezam pelas almas do purgatório? Essa realidade é uma mera invenção da Idade Média ou faz parte da fé recebida dos apóstolos? Assista a este vídeo e descubra, além disso, por que os protestantes não acreditam no purgatório

 

O purgatório é uma invenção da Idade Média? Infelizmente, muitos pregadores católicos e professores de teologia têm repetido essa afirmação absurda, ignorando que o purgatório é um dogma - estabelecido pelos Concílios Ecumênicos de Florença e de Trento [1] - e que, portanto, está enraizado na própria fé dos apóstolos. Se é verdade que a existência do purgatório não está explicitamente consignada na Bíblia, é preciso recordar que esta não é a única fonte de fé da Igreja. Não é necessário, portanto, que todos os dogmas estejam claramente nas Escrituras, mas sim na fé apostólica, que é o fundamento da própria Bíblia.

De fato, de muito cedo vem o costume de rezar pelos falecidos. Atesta-o o Segundo Livro dos Macabeus, que indica como os judeus piedosamente suplicavam por seus entes queridos [2]. Atestam-no as catacumbas dos primeiros cristãos, cheias de inscrições com orações pelas almas dos mortos. Atesta-o, enfim, o testemunho de todos os fiéis, de todos os séculos e de todos os lugares (quod semper, quod ubique, quod ab omnibus). Como afirma Santo Tomás de Aquino, é inútil rezar tanto pelas almas que estão no Céu, tanto pelas que estão no inferno, já que ambas estão em seu destino definitivo. Se a Igreja sempre rezou pelas almas dos mortos, então, é porque sempre creu que, após a morte, nem todas as pessoas salvas estão prontas para contemplar Deus face a face.

Foi Martinho Lutero, no século XVI, quem, não querendo aceitar o purgatório, chegou a rejeitar os próprios Livros dos Macabeus do Cânon das Escrituras. É que o purgatório não cabe na religião protestante, cuja doutrina não aceita a santidade humana. Para eles, todos os homens são profundamente pecadores e irão entrar no Céu ainda profundamente pecadores, com Deus olhando tão somente para a sua fé. Com isso, o protestantismo “sacramentou" teologicamente a dificuldade piscológica de Lutero, um homem que, atormentado por seus escrúpulos, não conseguia viver a santidade.

Na Igreja Católica, porém, existem numerosos exemplos de santos que, mesmo convertidos e livres dos pecados mortais, continuavam a fazer penitência, pois sabiam que precisavam purificar-se dos “resquícios" dos pecados cometidos (reliquie peccati) que ainda ficavam em sua alma. Para detectar isso, basta olhar para dentro de si mesmo e perceber que aí existe uma desordem. O que a Igreja diz - e que é bastante lógico - é que essa desordem não pode entrar no Céu.

O fato de a reflexão teológica a respeito do purgatório se ter desenvolvido plenamente na Idade Média não quer dizer que o purgatório foi inventado nessa época. Se a palavra própria para designar o estado de purificação das almas depois da morte só veio em tempos medievais, isso não significa que só na Idade Média os cristãos começaram a crer nessa realidade. Assim como nós já existíamos, antes mesmos de os nossos pais nos darem um nome.

 

FONTE: https://padrepauloricardo.org/episodios/o-purgatorio-e-uma-invencao-medieval

SOBRE A DEVOÇÃO ÁS ALMAS DO PURGATÓRIO

Orações iniciais para todos os dias da novena:   Acto de Contrição   Senhor Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, Criador e Redentor meu, em quem firmemente creio e espero e a Quem amo mais que a mim mesmo, mais do que todas as coisas; pesa-me, Senhor, de...
Devemos ter medo das penas do Purgatório? As penas do Purgatório, se por um lado são duras e rigorosas, nem por isso deixam de vir acompanhadas, por outro, das mais doces consolações. As penas do Purgatório, se por um lado são duras e rigorosas, nem por isso deixam de vir...
Desde quando os católicos rezam pelas almas do purgatório? Essa realidade é uma mera invenção da Idade Média ou faz parte da fé recebida dos apóstolos? Assista a este vídeo e descubra, além disso, por que os protestantes não acreditam no purgatório Desde quando os católicos rezam pelas almas do...
Quem morre na graça de Deus sem possuir aquela caridade que nos dá entrada ao céu precisa purificar-se inteiramente no Purgatório, e são as nossas orações e penitências a sua maior fonte de ajuda e consolo. Quem morre na graça de Deus sem possuir aquela caridade que nos dá entrada ao céu...
O Concílio de Trento, em 1563, ensinou que o purgatório existe e que as almas aí retidas podem ser ajudadas pelos sufrágios dos fiéis e sobretudo pelo santo sacrifício do altar. Entrar no céu e participar da glória de Deus é o anseio de cada cristão. No entanto, para que isso aconteça é preciso...
 A SAGRADA ESCRITURA DIZ-NOS...   «[...] que num determinado momento da história de Israel o povo pôs-se em oração, suplicando que o pecado cometido fosse totalmente cancelado. O nobre Judas pediu ao povo para se afastar do pecado, pois acabavam de ver, com os seus próprios olhos, o...
A IGREJA DIZ-NOS...   «[...] que na morte o justo se encontra com Deus, que o chama a Si para o tornar participe da vida divina. Mas ninguém pode ser recebido na amizade e intimidade de Deus se antes não se purificou das consequências pessoais de todas as suas...
O TESTEMUNHO DE SANTO AGOSTINHO   O hábito de oferecer sufrágios pelas almas do Purgatório é muito antigo na vasta tradição da Igreja. Já em tempos do Apóstolo Paulo, os cristãos da comunidade de Tessalónica se perguntavam o que acontecia aos seus irmãos defuntos. Esta é uma dúvida...
DIZ-NOS AINDA SANTO AGOSTINHO   Não se pode negar que as almas dos defuntos sejam aliviadas pela piedade dos seus parentes vivos, quando por elas é oferecido o sacrifício do único Mediador entre Deus e os homens, o Senhor Jesus Cristo, ou quando são distribuídas esmolas na...
IRMÃ FRANCISCA CHAMBON A 24 de Maio de 1844, numa pequena aldeia perto de Chabéry (França), nasceu Francisca Chambon. A pequena Francisca viria a ser baptizada no mesmo dia na Igreja Paroquial de São Pedro de Lemenc.  Aos nove anos teve a primeira visão de Cristo lacerado, como no...
1 | 2 >>

Contacto

Comunidade Católica de Evangelização Online nadateturbe@nadateespante.com